Crônica do Dia – LUCRÉCIO E A SUA SEMENTE DE VERDADE – Por Zélia Maria Freire

“A alma não passa de um conjunto de átomos que se desintegram com o corpo”

Zélia Maria FreireSem nenhuma inspiração, resolvi dá um mergulho no tempo, coisa entre 98/55 a.C. e encontrei por lá o seu Lucrécio, um velhinho amigo meu; sujeito sabido o seu Lucrécio, poeta e filósofo, autor de um único poema didático composto de seis livros conhecido como “De Rerum Natura” , com a tradução para nós de “Sobre a Natureza das Coisas”.

Na sua época ele já defendia algumas teses, que foram reafirmadas na ciência moderna.

Para se ter uma ideia ele se antecipou a Darwin e Lamarck com a teoria da evolução biológico e também a Lavoisier com o conceito da indestrutibilidade da matéria. Mas ele tinha um objetivo maior, era o de livrar o homem da superstição, de acostumá-lo a ideia de completa aniquilação com a morte, dizia que a morte é fácil quando a vida se vai e que o homem não devia temer a morte nem os infernos, se a alma não passa de um conjunto de átomos que se desintegram com o corpo ( a mesma teoria de Epicuro, de quem Lucrécio foi discípulo) Pregava também a inexistência de uma interferência divina nas coisas humanas.

É sabido que , na literatura latina, suas posições foram defendidas com eloquência e força de raciocínio. Conhecido como um crítico atento quanto as ideias e formas de viver de sua sociedade e de acordo com a sua obra, a proposição de verdade era dirigida a uma audiência ignorante, esperando que alguém o escutasse e compreendesse e desta forma passasse a semente de verdade capaz de melhorar o mundo.

E ai eu concluo: Tá certo, meu amigo Lucrécio, as suas palavras chegaram até nós e a ignorância não atravancou o progresso, mas o mundo não melhorou essas coisas todas não.

Categorias: Zélia Maria Freire

Sobre o Autor

Zélia Maria Freire

ZÉLIA MARIA FREIRE É membro da Academia Feminina de Letras do Rio Grande do Norte, autora do livro “EU TINHA UM PEDAÇO DE MAR" Foi classificada no concurso de poesias John Perry em Dallas USA. Escreve para o Recanto das Letras, mais de 1.300 textos publicados e agora, também, para o Jornal de Caruaru.

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado.
Campos obrigatórios*


*