Compesa brevemente iniciará “caça” aos residenciais que estejam roubando água.

De acordo com importante figurante da  Compesa, existe um planejamento para fiscalizar imóveis suspeitos.

Furto de água é crime previsto em lei

Compesa orienta quem estiver irregular a procurar o orgão para regularizar sua situação

A Compesa está próxima de realizar uma grande fiscalização para identificar e, se for necessário, solicitar a prisão de responsáveis pelos imóveis residenciais onde, por ventura, for encontrada qualquer tipo de “gato” que venha a ser caracterizado em “roubo de água.”

É considerada fraude toda e qualquer intervenção ou irregularidade cometida pelo cliente na ligação de água, com o propósito de distorcer a realidade do seu consumo, causando assim prejuízo à concessionária.

Ações de adulteração envolvendo a utilização de água canalizada e tratada pela Companhia de Águas e Esgotos de Pernambuco são responsáveis pelo prejuízo de R$ 1,3 milhão por mês, de acordo com informações da diretoria comercial. Além de prejudicar o abastecimento de outras pessoas, no bairro, devido ao uso indiscriminado do líquido precioso.

A autorreligação ou ligação clandestina, conhecidas como “gato”, caracteriza furto de água, portanto é crime previsto no Código Penal Brasileiro. Além disso, essa prática gera prejuízo para toda a população que se abastece da mesma rede onde está a fraude, com vazão reduzida pelo furto de água e pelos vazamentos que sempre estão presentes nesses casos.

Furto de água é crime previsto no Código Penal

O Artigo 155 do Código Penal Brasileiro qualifica crime contra o patrimônio a atitude de subtrair, para si ou para outra pessoa, coisa alheia móvel (equipara-se à coisa móvel a energia elétrica ou qualquer outra que tenha valor econômico) com pena prevista de um a quatro anos de reclusão além de multa. Nos artigos 163 e 168 – que trata do dano qualificado contra o patrimônio público e da apropriação indébita – também estão previstas penas de um mês a quatro anos de prisão. Para encerrar, o artigo 171 tipifica estelionato e outras fraudes obter vantagem ilícita, em prejuízo alheio, induzindo ou mantendo alguém em erro ou qualquer outro meio fraudulento.

O Jornal de Caruaru orienta aos clientes em situação irregular que procurem a Compesa para normalizar a situação com a empresa e recuperar o crédito. Aqueles que foram surpreendidos com a fiscalização podem procurar a empresa com a notificação recebida para realização de acerto amigável. Não vale a pena correr este risco. Fora a vergonha que você passará diante da comunidade, você ainda terá que arcar com multas salgadas, caso seja flagrado no delito.

“Não é intenção da Compesa punir o usuário, mas também não podemos permitir que alguns clientes paguem a conta de outros. Pensando nisso estamos trabalhando arduamente para identificar as fraudes. Pedimos aos clientes com algum tipo de ligação de água ilegal que nos procure para a regularização de modo a não ser surpreendido pela fiscalização, evitando assim responder sanções mais pesadas”. Disse um funcionário do orgão que nos pediu para não mencionarmos o seu nome.

Categorias: Local

Sobre o Autor

Anita Torres

Algumas imagens e matérias são de fontes diversas (internet). Caso você seja o detentor dos direitos de algum vídeo, imagem, texto ou qualquer outro conteúdo publicado e seja contrário a exibição em nosso site, favor entrar em contato conosco através do e-mail: jornaldecaruaru@gmail.com para que possamos retirar ou incluir os devidos créditos.

Deixe um comentário

Seja o Primeiro a Comentar!

Notify of
avatar
wpDiscuz