Crônica do Dia – A TRISTEZA FAZ PARTE DA VIDA – Por Zélia Maria Freire

“Aquele que nunca viu a tristeza, nunca reconhecerá a alegria.”
(Khalil Gibran)

Zélia Maria Freire

Zélia Maria Freire

O filósofo Montaigne fala da tristeza como uma disposição de espirito que ele não apreciava nem tampouco valorizava. A escritora Martha Medeiros, por sua vez afirma na sua crônica “Feliz por nada”, que gosta de quem tem compromisso com a alegria. Contudo, há quem afirme que a tristeza não deve ser evitada a qualquer custo pois faz parte do nosso cotidiano e até nos ajuda a crescer.

O psicólogo Fabiano Murgia, autor do livro “Salve a Depressão” defende que há um sentido existencial nesse sentimento, pois ele nos faz questionar a nossa vida e buscar caminhos alternativos. E o que dizer dos poetas, da sua tristeza sentida e proclamada, da tristeza sem causa, da tristeza que sufoca, da tristeza de amor. E quem não sofreu por amor… E assim, ora fingindo, ora deveras sentindo eles falam de uma tristeza que é deles, que é nossa, que é de todos nós e que não são cruéis nem perigosas .

“Apenas são cruéis e perigosas as tristezas que passeamos na multidão para que esta lhe dê remédio” – Ensina Rilke.

Leia mais crônicas clicando na imagem abaixo:
Crônicas do Dia

Categorias: Zélia Maria Freire

Sobre o Autor

Zélia Maria Freire

ZÉLIA MARIA FREIRE
É membro da Academia Feminina de Letras do Rio Grande do Norte, autora do livro “EU TINHA UM PEDAÇO DE MAR” Foi classificada no concurso de poesias John Perry em Dallas USA. Escreve para o Recanto das Letras, mais de 1.300 textos publicados e agora, também, para o Jornal de Caruaru.

Deixe um comentário

Você está autenticado como Zélia Maria Freire | Sair

Seja o Primeiro a Comentar!

Notify of
Zélia Maria Freire
wpDiscuz