Crônica do Dia – Ir, vir ou ficar – Por Whisner Fraga.

“Parece que o ir, o vir e o ficar são mais restritos para as mulheres. E para as minorias também.”

Whisner Fraga 

Whisner Fraga

Em uma rede social, um colega manda o recado:

“O direito do outro acaba onde começa o meu”.

Acho que o direito do outro acaba bem antes. E o dele também. O direito, para quem não desconfia, é uma criação coletiva. Sendo assim, visa o bem comum em detrimento do individual, é óbvio.

Se a vida em sociedade dependesse apenas do regramento de poucos, só existiriam deveres e ditadores fiscalizando seu cumprimento.

O clichê poderia ser reformulado para:

“Nossos direitos caminham juntos”.

Mas vivemos a era do egoísmo, as pessoas têm dificuldade de se colocar no lugar do outro.

Aí me recordo de outro clichê: o tal do direito de ir e vir.

Aumento: o direito de ir, vir e de ficar.

Encaixa-se aí a recente onda xenofóbica que acometeu o cordato povo brasileiro.

Encaixa-se aí também uma difícil conversa que tive essa semana. Por razões profissionais, uma colega terá de deixar São Paulo. O salário que passou a receber não dá mais para pagar suas contas. Mas ela não queria deixar a cidade.

Terá de se afastar do que construiu e se arriscar no interior, onde o custo de vida é mais baixo.

Mas ela tem o direito de ficar. Desde que continue a quitar as dívidas. Desde que não entre em voga um preconceito novo. Desde que não seja coagida. Desde que não seja violentada. Desde que não faça greve em dia de semana. Desde que não seja vagabunda.

Os direitos se encheram de senões.

Parece que o ir, o vir e o ficar são mais restritos para as mulheres. E para as minorias também. Mais policiados.

Às vezes temos a impressão, do alto de nossas opiniões sedimentadas, que não há mais nada a ser superado. Que nossos direitos estão assegurados. Aí penso neste e-mail que recebi esta semana. Outro colega terá de voltar para São Paulo. Perdeu o emprego em Recife. Não cogitava mais retornar.
Queria que as pessoas compreendessem que a comunhão é a única saída para o homem. Se é que ainda nos resta tempo.

Leia mais crônicas clicando na imagem abaixo:
Crônicas do Dia

Categorias: Whisner Fraga

Sobre o Autor

Whisner Fraga

É escritor. Autor de oito livros, dentre eles: “Lúcifer e outros subprodutos do medo”, Editora Penalux, 2016. Teve texto traduzido para o alemão, por ocasião da Feira de Frankfurt, em 2013.

Deixe um comentário

Você está autenticado como Whisner Fraga | Sair

1 Comentário em "Crônica do Dia – Ir, vir ou ficar – Por Whisner Fraga."

Notify of
Whisner Fraga
Sort by:   newest | oldest | most voted
Josefina Neves Mello
Visitante

Oi, Whisner!

Como sempre ocorre, gosto muito de suas crônicas. Esta me emocionou!

Olha, este clichê: “Nossos direitos caminham juntos” é um assunto muito sério.
Obrigada!

abraço, J.

wpDiscuz