Crônica do Dia – Volta – Por Whisner Fraga

“Quero sugerir leituras a todos os que espalham clichês como se fossem a última verdade de nossa história”

Whisner Fraga 

Whisner Fraga

É preciso retornar.

Durante mais de um mês contei apenas com a mão esquerda. Escrevi pouco. Anotações, lembretes, textos curtos. Minicontos também.

Um braço quebrado pode desanimar a gente.

E não são só as dores ou a consciência da fragilidade e esses detalhes de autoestima.

As dores.

Não consigo ainda girar o punho nem acenar para baixo ou para cima sem sofrer razoavelmente.

Eu me levanto durante a madrugada, preciso levar Helena para a cama e me esqueço da fratura, agora consolidada, segundo o médico. Tudo dói, mas preciso alcançar a cama, preciso deixá-la em segurança no colchão macio e, de preferência, debaixo das cobertas.

Depois ligo o kindle e arrisco um livro. Os dedos parecem entrevados. Como meu avô, que não conseguia mais esticar o anular e o mindinho.

Está frio e eu gosto, mas desta vez ele me trouxe uma gripe forte.

Espio os prédios vizinhos. Se eu fumasse, acenderia um cigarro.

É véspera de manifestação e eu disse mais cedo que não espero mais nada disso tudo. Mas sei que algo vai acontecer.

Aproveito a madrugada para fazer alongamentos. Pego a bola de tênis que o amigo me emprestou e tento amassá-la.

Quero socar um pouco a parede, para variar.

As estantes estão mais vazias. Leio e me desfaço do objeto. Meu apego diminuiu. Agora guardo apenas os autografados. Vendo o resto na estante virtual, já que desisti de doações a bibliotecas depois do último imbróglio.

Essas coisas vão minando nossa paciência.

Quero sugerir leituras a todos os que espalham clichês como se fossem a última verdade de nossa história, mas às vezes me viro e reflito: por onde começar?

Até que a dor me adverte que ela sempre é um bom início.

Categorias: Whisner Fraga

Sobre o Autor

Whisner Fraga

É escritor. Autor de oito livros, dentre eles: “Lúcifer e outros subprodutos do medo”, Editora Penalux, 2016. Teve texto traduzido para o alemão, por ocasião da Feira de Frankfurt, em 2013.

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado.
Campos obrigatórios*