Artigo – Dia do professor – Algo a comemorar? – Por Edilma Gomes

Nunca se debateu tanto quanto nos últimos anos o slogan do Governo Federal: “Brasil, Pátria Educadora”!

dia do professor

Esse discurso veio com uma promessa de que a Educação seria a prioridade das prioridades; o abre-alas de um povo que sempre fora a nação do futuro; o país em que todos encontram um “jeitinho” que permeia entre os mais pífios e sorrateiros absurdos, acreditando de uma maneira inocente – ou não – guardar em um baú histórico suas mazelas.

Houve com isso uma esperança no coração de todos os professores brasileiros: Finalmente a valorização! Não querendo nesse texto desmerecer tão bonita e impactante frase para a sociedade brasileira, cheia de intencionalidades boas, mas hoje, sendo comemorado o Dia do Professor fica uma reflexão sobre a mesma: Onde está a valorização do professor? Que pátria educadora é essa que professores precisam ir às ruas reivindicar melhores condições de trabalho e de salário?

Existe uma diferença entre ser professor e educador! Antes de querer uma pátria educadora deve-se valorizar o herói principal: o professor.

Ser professor vai além de ditar ou transcrever um livro; de folhear e encadernar nas alcunhas da vida escolar de alguns apenas conhecimentos técnicos e cientifico; Ser professor é ser exemplo de vida, de conhecimento, mas não detentor da verdade. O professor não ensina; socializa!

Ser professor sempre foi uma profissão que recebeu e recebe muitos elogios: O futuro está na Educação! Hoje o que se vê é a procura cada vez menor dos universitários nas áreas de licenciaturas; ninguém quer ser professor com o salário que se tem hoje, com as salas de aulas abarrotadas de alunos como se os mesmos fossem produtos enlatados – de fato são sim produtos: produtos que precisam e requerem de atenção especial para que se moldem com o tempo e sejam verdadeiros cidadãos. Ser professor é vocação.

Toda profissão deveria ter essa base com certeza, mas nunca a palavra vocação foi usada tanto para os que se formam educadores – ou se acham educadores. Escolher ser professor numa pátria que há décadas não consegue resolver a situação caótica da educação e de repente, lança um lema cheio de boas intenções – pelo menos tenta mostrar – e apenas fica nisso, porque se espera resultados, e eles não aparecem, é provar realmente que ser professor é vocação. A desvalorização da profissão é um dos grandes motivos que fazem com que cada vez mais professores deixem a sala de aula e procurem outras profissões. O quadro atual é desastroso, pois é concernente encontrar nas escolas públicas de Ensino Básico professores desmotivado, tristes e cansados.

Diante dessa desvalorização dos professores, das dificuldades no exercício do trabalho docente, o que comemorar no dia do Professor?!

A sociedade tem o dever de comemorar a luta daqueles professores que não desistiram da sua vocação, que acreditam no proposito de que “O professor faz a diferença”. Temos que comemorar a disposição de lutas daqueles que têm a consciência de que o futuro está na educação e que ser professor é a vocação mais linda do mundo!

Ser professor é moldar o mundo com penachos de uma fênix!

Parabéns a todos os professores e professoras desse país!
——————————————————————————————————————————————————————————

Edilma Gomes é professora e atua na rede pública e privada de Santana do Ipanema

Categorias: Artigos & Opinião

Sobre o Autor

Jornal de Caruaru

O Jornal de Caruaru constantemente pratica a reprodução de conteúdo com menção da fonte. Algumas imagens e matérias postadas são de fontes diversas (internet). Caso você seja o detentor dos direitos de algum vídeo, imagem, texto ou qualquer outro conteúdo publicado e seja contrário a exibição em nosso site, favor entrar em contato conosco através do e-mail: jornaldecaruaru@gmail.com para que possamos retirar ou incluir os devidos créditos.

Deixe um comentário

Você está autenticado como Jornal de Caruaru | Sair

Seja o Primeiro a Comentar!

Notify of
Jornal de Caruaru
wpDiscuz