Se as moscas não existissem, o chocolate também não subsistia

Em livro, entomologista chama atenção para a importância ecológica das moscas

Moscas

Para cada pessoa na Terra, estima-se que haja 17 milhões de moscas. Elas polinizam as plantas, consomem corpos em decomposição, comem o lodo dos dutos de drenagem, danificam cultivos, espalham doenças, matam aranhas e caçam libélulas. Algumas até perderam suas asas para viver exclusivamente do sangue dos morcegos.

Erica McAlister, que trabalha no Museu de História Natural de Londres e é autora de “The Secret of Flies”, quer lembrar ao mundo a importância das moscas.

Sem elas, por exemplo, não haveria chocolate, já que é um tipo de mosca que poliniza o cacau. O fascínio de McAlister em relação às moscas começou na infância. Ela pegava moscas e as inspecionava no seu microscópio, presente de seus pais.

Muitas moscas nos fazem um enorme serviço ao limpar diferentes tipos de detritos biológicos. Também há aquelas que se alimentam de corpos mortos, de ratos, de humanos e todo o resto.

Além disso, é fácil trabalhar com as moscas. Historicamente, elas forneceram muito do conhecimento sobre genética moderna. E agora, elas podem servir para o estudo da neurociência.

McAlister faz sua parte para tentar recrutar uma nova geração de amantes de moscas para resolver os mistérios destes insetos. Até hoje, por exemplo, não se sabe quantas espécies existem no mundo.

Categorias: Cidades, Geral

Sobre o Autor

Esther Vivacqua

Estudante. colaboro com Clipping de notícias de culinária, dos famosos e do Caderno Cultural no Jornal de Caruaru. Algumas imagens e matérias são de fontes diversas (internet). Caso você seja o detentor dos direitos de algum vídeo, imagem, texto ou qualquer outro conteúdo publicado e seja contrário a exibição em nosso site, favor entrar em contato conosco através do e-mail: jornaldecaruaru@gmail.com para que possamos retirar ou incluir os devidos créditos.

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado.
Campos obrigatórios*